Destaque para outras Almas Nuas

Cosméticos Profissionais

Blog Foco na Rotina

domingo, 22 de abril de 2018

Novo Blog!

Resolvi falar menos no Facebook e publicar mais em meus blogs, porque estão todos sem atualização...


Sem saber como deixar a cara deste, resolvi seguir com outro que havia feito e o reciclei até decidir como deixar este aqui! Aceito sugestões, rs.



https://diariobyshimada.blogspot.com.br/


domingo, 11 de fevereiro de 2018

"Vai Lavar Uma Louça!"



Jamais use a frase "Vai procurar uma louça pra lavar!" quando estiver discutindo com alguém ou se sentir ferido(a) no orgulho, tentando depreciar a outra pessoa. Quem utiliza esta expressão com certeza não tem respeito pela própria mãe. Hoje em dia, a maioria das mulheres vivem bem diferente do modo que nossas mães viviam... Ainda assim, há ainda aquelas que são donas de casa em tempo integral.

Já parou para pensar em quanta louça sua mãe lavou por todo o tempo em que a viu na cozinha? Aliás, o lugar onde mais a viu com frequência foi na cozinha. Uma mãe de família que passa tantos anos lavando louças, tem uma história muito marcante para contar.

Tão marcante quanto de minha amiga, cujo nome será mudado neste relato. Vamos chamá- la de Jurema. Ela sempre conta, como se fosse a primeira vez, como ecoa dentro da cabeça dela a voz do marido bêbado, aos berros, dizendo com o olhar profundo e fixo nos olhos dela: "Você nem é mulher!". Não vou julgar Jurema, nem dar uma de que sei o que é viver de verdade e determinar o que ela deveria ou não ter feito, o que foi errado ou certo. O que sei é que se vê o mesmo resultado em muitas famílias como um padrão... o que sei é que quando se fala de depressão, é preciso um olhar carinhoso e um ouvido realmente disposto a ouvir. 

Jurema teve seu primeiro filho ainda muito jovem. E logo conheceu um homem que considerou o homem que idealizou, aquele que seria o homem de sua vida. O início deste relacionamento não foi marcado por conquistas, romantismos, narrativas apaixonadas ricas em expectativa em poder rever a pessoa. Jurema ignorou tudo isso: ela o amou a primeira vez que o viu e amou tudo o que se relacionava a ele. Isto quer dizer que, aceitou ele assim como ele era, com suas qualidades e tantos defeitos.

Na ausência de tudo aquilo que alimenta o sentimento de uma pessoa por outra, Jurema se satisfazia apenas em estar com ele, mesmo que muitas vezes parecesse que para ele não fazia diferença. Por causa disto, houve várias vezes tentativas de rompimento mas, eles sempre voltavam um para o outro. Isto durou até que Jurema ficou grávida. E ele decidiu que deveríam se casar, pois era o correto a ser feito. Em seus tantos pensamentos consigo mesma, Jurema não queria este casamento por não estar certa do sentimento de seu amado por ela. Não sabia se o que ele sentia seria suficiente para um casamento e para construir uma família. Ainda assim,  a atitude dele foi tão incomum - de meter as caras e enfrentar a situação - que Jurema amou isto nele também e eles se casaram.

O começo do casamento também foi o período da gravidez. Jurema ainda não havia vivido uma gestação com uma vida em comum com o pai de seu filho. Tudo era muito novo, ela era ainda muito imatura e a insegurança em relação as mudanças de seu corpo era gritante. Tão gritante que gerava várias discussões, ainda mais quando ele vez ou outra encontrava com alguma 'amiga' pela rua ou nos corredores do supermercado. Ela simplesmente se achava um lixo, apesar dele estar radiante com o fato de ser pai.

A criança nasceu e por alguns meses, ele demonstrou a ela ser o homem mais apaixonado do mundo. Jurema lhe deu seu primeiro filho e ele sentia-se realizado. E até hoje ela não sabe porque durou tão pouco. Talvez, porque junto com o matrimônio e a paternidade vieram também as contas para pagar e a despensa para sempre encher. Nunca mais Jurema viu demonstrações de afeto vindos de seu parceiro. E o sentimento que já não era alimentado antes, começou a passar fome. Ainda assim, Jurema o amava verdadeiramente. E o Amor parece ser capaz de vencer e superar tudo!

Jurema decidiu então se render por completo ao seu sentimento pelo agora seu marido. Fez de sua casa um lar e de seu lar um santuário. Fez de sua tão jovem família o seu bem mais sagrado. Dormia pouco, mantinha a casa impecavelmente limpa o dia inteiro, inclusive a pia. Lavava louça várias vezes ao dia. O cesto de roupas sujas nunca estava cheio, mas, o varal sim: e ela passava peça por peça, organizava os guarda roupas e sempre se certificava que aquelas roupas que sempre precisavam usar estavam limpas, passadas e disponíveis para o uso. Tinha horários para tudo para ensinar suas crianças, inclusive das refeições. Cozinhava o dia todo, então , ela era encontrada encostada no tanque, na pia ou no fogão. Seus filhos eram limpos e sadios. Iam para a escola, cada um em um horário, cada um com uma exigência, mas ela nem parava para pensar: ia e fazia o que tinha que ser feito. Ainda dava conta de brincar com os filhos, ajudar nas tarefas da escola, cuidava dos animais de estimação e mantinha o enorme quintal limpo para que as crianças pudessem brincar. Á noite, cansada, tomava um banho, esperava o marido para jantar, sempre comiam todos à mesa e ainda tinha que satisfazer o marido na cama. Ele era jovem e tinha muito 'apetite'.

Para que sua família não ruíssem como ela via acontecer com tantas, ela se sacrificava, se dedicava, engolia sapos, aguentava desaforos, críticas e exigências. Nunca havia um elogio, uma palavra de incentivo ou de motivação mas, ainda assim, seu amor era suficiente para preservar seu bem mais precioso.

Venerava o marido e os filhos, acreditava piamente que tudo o que estava fazendo era um investimento sem valor a ser medido e que eles mereciam cada minutos de sua vida dedicado a eles. Até que um dia ela descobriu que seu marido teve uma amante. Naquele dia ela soube exatamente o que significava perder o chão. Seu mundo ruiu! E o pensamento que vai rasgando tudo por dentro é: "E todos estes anos de dedicação, e todo o amor que senti, e de repente ele se viu diante de uma estranha e se enamorou dela? Ele a conquistou como não fez comigo, ele a elogiou como não fez comigo, ele a agradou como não faz comigo, ele a levou a lugares que nunca pensou em me levar..."

Ele negou incessantemente apesar de ainda haver provas explícitas ,mas, se mostrou desejoso em continuar e manter a relação dos dois... Ela o amava, o Amor é um conjunto de virtudes e ela perdoou. Perdoou, continuou o venerando mas, nunca mais conseguiu confiar nele. Ela confiava muita coisa a ele, mas, sabia que a qualquer momento ele poderia esquecer quem era e com quem vivia e a vida que tinha e se engraçar com alguma mulher pois, foi fraco o suficiente para fazer isso uma vez. 

E foi uma mulher que ligou em casa, e foi uma pedra de lingerie que encontrou no carro, e foi um brinco que encontrou no banheiro, e foi o olhar da colega de trabalho em uma festa da empresa e assim foram constantes humilhações, sentimentos de vergonha dominando o interior de uma mulher que acreditava que deveria ser exemplar, coroa de honra para o marido para que ele fosse bem visto e grande. O que ela passou a ver é que quando ele progredia, a desprezava e se sentia o todo poderoso diante dos outros. Que ele era bem visto por julgarem que ele tinha uma boa mulher porque ele a fazia assim e ninguém se dava conta de que ela era assim e procurava melhorar cada vez mais para que ele se sentisse feliz com ela. Mas, quando as coisas iam de mal a pior, era para ela que ele corria. Era ela quem estava ao seu lado, o incentivando, o fazendo acreditar que tudo iria passar...

Claro que você que vive tão diferente de como sua mãe vivia dirá porque então ela não o deixou. Ela abandonou estudos, trabalho, profissão, deixou de lado todo seu potencial para se dedicar inteiramente a família e ao casamento. Porque família e casamento não é igual peça de roupa que você usa uma vez e joga no cesto de roupa suja. Marido não é um acessório para satisfazer o Ego e filhos não são bichinhos de estimação. Se ela se separasse, teria que deixar os filhos em casa aos cuidados de só Deus sabe quem, faria dois ou três turnos - trabalho, casa e filhos - e teria que ser não só a mãe que sempre foi como teria que ser também um pai que não estaria mais presente.

Ela precisou fazer uma escolha... O casamento havia fracassado, ela não era mais mulher suficiente para seu marido que agora vivia se embriagando e a tachando de todos os adjetivos ruins possíveis, mas, ela nunca deixaria de ser mãe. Ainda precisava criar e ensinar os seus filhos a crescer. Ela reprimiu as magoas, ela arquivou as lembranças de cada traição e de cada vergonha que passou, ela fingiu esquecer, tentou engolir cada sapo que se enroscava, ela chorava escondida de madrugada e sorria durante o dia e ela perdoou, perdoou, perdoou. E ela foi todo tipo de mulher que sua moral permitiu, tentando encontrar aquela que agradaria seu marido para que enfim ele se sentisse feliz ao lado dela.  E eles brigavam e ela cuidava das coisas dele, ela fazia o jantar como sempre, ela mantinha a casa limpa e as crianças em suas rotinas e ele parecia nunca ver nada disso.

E os anos foram passando. Jurema e seu marido foram amadurecendo juntos. Aprenderam muitas coisas juntos. E criaram seus filhos. Jurema mudou em muitas coisas... Seu marido também, mas, em algumas ele continua exatamente o mesmo. É previsível quando ele irá decepcionar. Então, de mais ou menos uns dois anos para cá, Jurema começou a avisar que ele estava a perdendo. Começou a avisar que conseguiria viver sem ele. E nada. Ela tentou de todas as formas possíveis avisar. E ela começou a ver um tratamento da parte dele estranho, interessante eu diria. Um tratamento dado normalmente a quem se tem consideração. O respeito pode parecer ter acabado, o amor, ou a paixão, o tesão, o interesse que nunca apareceu, mas, ele tinha consideração. Gentil ele nunca foi, amoroso nem pensar mas, haviam gestos que demonstravam consideração. Para o amor que Jurema sentia poderia ser o bastante para alimentar o que ela sentia mas, já era tarde demais. Depois de tantos anos de extrema devoção ao que ela acreditava ser seu bem mais precioso, Jurema entrou em depressão. Foram tantas decepções, frustrações, humilhações, mágoas, tristezas que nem ela mesmo se deu conta de que estava cada vez mais depressiva. Ela fez da alegria de sua família a sua alegria. O que ela gerou pra si mesma foi quase nada, mas, muito se pensarmos que ela se realizava doando-se a família.

Ela não tinha mais suas crianças que precisavam constantemente dela. Não havia mais um marido que se colocava como tal, ou um homem que tivesse ao menos um interesse sexual. Nem de sua companhia ele fazia questão.Ele a via chorar e não esboçava nenhuma reação. Simplesmente ficava atento a tv até pegar no sono. E de tudo o que Jurema fez, percebeu que só ela havia mudado: tudo em volta continuava do mesmo jeito. E toda vez que ela encosta na pia para lavar louças ela chora. Chora tudo o que aquela louça representa! Chora por fazer de um trabalho chato algo agradável porque era para o bem estar de sua família. Mas, Jurema se pergunta: Onde está a família que eu procurei cativar? A pia cheia de louça hoje é uma visão desesperadora com tudo o que ela representa! É Jurema andando casa a fora arrumando e limpando o que sujam ou tiram do lugar. É Jurema de um lado para o outro sem ser notada. São os pratos sujos depois da janta sem ouvir ao menos um 'obrigado'. São uniformes pendurados no varal e a certeza de que na segunda- feira tudo estara pronto para que possam usar. E a refeição tendo que ser preparada quando ela nem apetite sente mais. É tanta coisa...

Jurema passou 5 dias no quarto, dormia e só levantava para ir ao banheiro e beber água. Absolutamente ninguém pareceu notar isso. Ela sabia que ali ninguém iria mover nem um dedo para tirá-la daquela situação. O corpo já estava todo dolorido de ficar apenas deitada. Pensou em levantar e tomar um banho. Pensou em ir tomar um sol mas, não consegue sair nem no quintal. Pensou em um modo de ficar menos no quarto e pensou em como conseguiria sair dessa sozinha. 

Ela não consegue fazer nada, não vê mais sentido em nada, não tem forças pra fazer nada. A única coisa que tem conseguido fazer como a tantos anos fez foi lavar a louça. Ela tentou contar quantas vezes na vida lavou uma louça... A pia cheia a faz sair do quarto, limpar a cozinha e se tiver um pouco de forças sobrando, fazer uma refeição para a família. Jurema tem conseguido sair do quarto mas, não consegue sair da depressão.

Em um final de semana, o marido resolveu que haveria uma pequena reunião familiar em sua casa. Jurema se preparou psicologicamente para isso. Horas antes, desmarcaram tudo para que todos fossem para a reunião de família na casa de outra pessoa da família. Ela não consegue sair de casa, ela não consegue conversar com as pessoas, ela só chora e o marido, conformou-se rápido que ela não iria e simplesmente foi, deixando-a chorando. Quando voltou já era noite. Olhou para Jurema com desprezo. Ela havia chorado o dia todo e se sentia a pior das criaturas e um lixo - como ela sempre diz. Ela teve certeza de que era mesmo um lixo com o modo que o marido a olhou. Ainda ouviu um "você sente prazer em se fazer de vítima?". Jurema ironizou: "Sim, olha pra minha cara, sou a cara do sucesso, estou radiando felicidade porque chorar o dia todo me satisfaz!". O marido ligou a tv em som máximo, foi tomar banho, deitou no sofá mesmo e dormiu rápido. Jurema ainda estava chorando e não sabia mais o que fazer para parar. Os filhos? Cada um estava se divertindo como convinha a eles, mas, longe dali, longe da cara da mãe derrotada que - segundo eles - gosta de causar e chamar a atenção. Não suportam mais o clima entre os pais e acham que o estado de Jurema é especificamente por causa do marido ou que tiveram nova discussão. Toda dedicação dos pais não é suficiente para os filhos ao menos os suportarem ...

Jurema me disse: "Tudo o que eu fiz na vida se resumiu a lavar louças! Na casa de meus pais eu vivia lavando louça e quando trabalhava fora todo meu salário tinha que ir para a mão da minha mãe que ainda assim dizia que eu não prestava. Eu fiz da minha família tudo o que eu tinha neste mundo e hoje estou sozinha aqui, ignorada e ainda servindo de chacota! Eu tenho pedido ajuda e ninguém vê.".

Enquanto gesticulava, vi vergões vermelhos nos braços de Jurema. Para não se matar cortando os pulsos, ela risca em volta do pulso num esforço descomunal em não atentar contra a própria vida: "Quero viver, mas, sabe quando parece que só te resta a morte?". Ela pediu licença para desligar o vídeo pois, tinha que lavar louça, caso contrário iria voltar para a cama e dormir ainda mais. 

Olhei para minha pia cheia de louça... Eu também não aguento mais lavar louça! Pensei em Jurema e se teremos outra conversa - é tão difícil conseguir isso... Pensei como se sai do estado depressivo em que ela se encontra... Pensei se ela vai conseguir sair ou se vai acabar cortando os pulsos e continuando invisível, sendo apenas mais um número na estatística de depressivos que se matam. Pensei que se ela continuar resistindo e se mantendo viva, ela irá continuar lavando louças, servindo de empregada para sua família pro resto de sua vida?

Não mande ninguém lavar louças... Quantas vezes você mesmo(a) tenta fugir de fazer isso? Você nem sabe o que tem por trás de um monte de louças...


terça-feira, 14 de março de 2017

Cicatrizes


Há coisas pela casa que só existem...
Só ocupam espaço,
Retém poeira,
Nada representam...


Há trapos precisando de remendos...

Não há dinheiro para comprar novo.
Não há compreensão da necessidade de
Desfazer-se do que é velho...
Remendo os trapos,
Porque é preciso usá-los...


Há coisas quebradas precisando de destino...

Colar não compensa...
Fica feio... Só se vê a trinca...
Quebrou, não tente salvar:
Junte os cacos e jogue fora!


Há coisas inacabadas precisando de uma escolha:

Terminar ou se livrar?
Falta retoque,
Falta tinta,
Falta uso,
Falta sentido...
Por que devo terminar?
Por que devo restaurar?
Por que devo continuar?


E eu vou olhando ao redor

E só vejo sobras...
Restos...
Desencantos...
Cores desbotadas...
Luzes que não brilham...
Nem reflexo...
Tudo tão sem nexo...
Sem necessidade...
Criando um cenário caótico,
Triste,
Sem graça,
Sem sentido,
Nada sentindo...


Eu remendo...

Eu moldo...
Eu conserto...
Eu coloco cor...
Eu lustro e tento um brilho...
E canso...


Licença Creative Commons

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Sina



Enquanto encontro-me ao chão
Contemplo as estrelas:
Não é preciso esforço para enxergar!
Sinto minha Energia Vital minando
Pouco a pouco se esvaindo...
Sinto-me acomodada na cova funda,
Profunda,
Que eu mesma cavei!

Sinto o cheiro de terra molhada
E gosto disto! 
Pequenos prazeres...
Pequenos "despertar emocional"...
Bastavam pequenos gestos
Para o coração bater mais forte...
Para as mãos ficarem trêmulas...
Para o rosto enrubescer...
Para a respiração acelerar...
Para as pernas estremecer...
Para o sangue correr...
Para os sentidos se abrirem...
Para sentir-me mais viva!

Entre decepções e desencantos
A Vida vai perdendo o encanto...
Cada vez mais fica difícil enxergar,
E torço para que o motivo seja
Meus olhos se fechando:
Que se fechem para sempre!
Cansei de ser um mero pedaço 
De carne ambulante...
Cansei de sentir meus órgãos parando,
A circulação sanguínea difícil,
Os neurônios morrendo,
A memória desaparecendo,
As lembranças morrendo...

Cansei de ser ignorada,
Transpassada feito um nada,
Mero fantasma que atormenta
Quem não se importa nem com o Vento,
Nem com a luz,
Nem com a lágrima...

Bastava uma única palavra
Sincera...
Bastava um gesto convicto...
Bastava uma afirmativa declaração...
E todos os anos passados não seriam mentira...
Tudo não teria sido em vão...
Nada seria mera ilusão,
Criada pela mente fértil,
Criativa,
Que deseja ardentemente sentir-se amada,
Porque deseja sentir-se real!

Acomodo-me ainda mais
Na cova profunda que eu mesma cavei...
Como semente que um dia
Desejar alcançar o céu...
Quem sabe eu poço nascer de novo
E mereça outra sina...

Licença Creative Commons
Sina de Shimada Coelho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://shimadacoelho.blogspot.com.br/2017/02/sina.html.

sábado, 21 de janeiro de 2017

Macarrão Queimado - Tudo Depende de Como Você Encara Tudo!




"- Eu sempre estou andando em círculos... Tudo é sempre igual...
Não acontece nada diferente... Tudo sempre dá na mesma...
Tudo dá sempre errado..." Ops, para por ai!
Vou contar um conto que li há muuuuitos anos atrás na minha adolescência... Naquela época não havia internet então, haviam pessoas que xerocavam mensagens - quase iguais as que vemos na rede - e deixavam nos portões e nas caixas de correio. Foi em uma dessas mensagens que li este conto e adaptei...
Imagem do site Oba Gastronomia

"MACARRÃO QUEIMADO
Havia um casal comum, como qualquer outro. O marido trabalhava muito e a mulher, trabalhava muito também mas, cuidado da casa, das coisas do marido e dos filhos. Embora fosse uma boa esposa, ela não sabia cozinhar... A única coisa que sabia preparar era macarrão. Macarrão cozido fora do ponto, mau temperado, insosso e queimado! Sempre na finalização da massa com o molho ela acabava deixando 'passar do ponto'...
O marido chegava toda noite, cansado, abatido, resmungando, de cara feia, reclamando sempre do trabalho. A esposa não compreendia o porque daquele mal humor todo mas, relevava. Então, o marido alargava a gravata em um puxão, jogava a maleta e o paletó na cabeceira da cadeia e se sentava na mesa. A esposa acomodava os filhos ao redor da mesa, e servia o costumeiro macarrão queimado!
Ele olhava, ele reclamava, ele jogava no prato, e resmungava: "- Quando você vai aprender a fazer um simples macarrão? Eu trabalho o dia inteiro, chego cansado e tudo o que você tem a me oferecer é esse macarrão queimado?"
A esposa simplesmente abaixava a cabeça, concordando com o marido...
Os dias passaram-se da mesma forma, com a mesma cara feia, com as mesmas reclamações até que um dia, o marido chega com um ramalhete de flores mistas para a esposa. Deu-lhe um beijo na testa, acomodou a maleta sobre o balcão, pendurou o paletó e tirou delicadamente a gravata. Foi tomar banho e banhou-se cantando alegre. Sentou-se em sua poltrona preferida e pediu educadamente se a esposa poderia servi-lhe um aperitivo antes do jantar, o que ela atendeu imediatamente, estranhando o comportamento do marido.
Depois de sorver prazerosamente o aperitivo, reuni-se com a família que o
esperava na mesa. E como sempre, vem a esposa servindo o mesmo macarrão queimado de sempre.
O marido elogiou: - Hummm, parece estar muito bom! - as crianças olharam para mãe surpresos.
Ele se serviu generosamente, como que serve um prato gourmet... Colocou delicadamente no prato, pegou o garfo e deu a primeira garfada. Fechou os olhos
e suspirou: - Hummm, está muito bom! É o melhor macarrão que já comi na vida!
A esposa sem entender mais nada, indagou: - Você toda noite reclama do mesmo macarrão! É o mesmo macarrão que sempre faço!
O marido responde: - Perdoe-me querida se tenho sido rude com você. Sei o quanto é sobrecarregada com a casa e nossos filhos para ainda ter que aguentar meu mal humor! Mas, sei também que escolhi a melhor mulher do mundo e que você me compreenderia!
Tenho passado muito estresse no trabalho pois, tenho me dedicado além de
minhas forças para conseguir a vaga aberta para uma promoção. Sua paciência,
sua dedicação e sua compreensão foram essenciais para que eu conseguisse!
Fui promovido meu amor!
As crianças comemoraram, o marido levantou-se, deu um abraço apertado na
esposa, daqueles de suspender o corpo do chão e ele prometeu que dali por
diante, ela não precisava mais se preocupar, porque agora poderia contratar
alguém para cozinhar e ajudar na casa.
A moral da história: tudo depende de como você enxerga o macarrão queimado!
Mude do lugar de onde você enxerga tudo. Saia de onde está e veja tudo sobre
outro ângulo. Veja as coisas de modo diferente porque uma única coisa possuí diversas interpretações!


Licença Creative Commons
Macarrão Queimado - Tudo Depende de Como Você Encara Tudo! de Shimada Coelho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Quem Você É se Reflete em Tudo o que Você Faz.




"Os homens agem sobre o mundo e o modificam e, por sua vez, são modificados pelas consequênciasde sua ação." (Skinner, 1957).


Ontem comecei uma restauração no jardim e por isto acabei não aparecendo por aqui, perdão!
Fiquei devendo um texto inspirado na postagem da amiga Mary com sua redecoração em sua casa. Em vez de sentar e escrever, fui mudar o jardim e ao longo do texto vão compreender a similaridade das coisas...
Skinner (Susquehanna, Pensilvânia, 20 de Março de 1904 — Cambridge, 18 de Agosto de 1990) foi autor e psicólogo americano.
Conduziu trabalhos pioneiros em psicologia experimental e foi o propositor do behaviorismo radical , abordagem que busca entender o comportamento em função das inter-relações entre a filogenética, o ambiente (cultura) e a história de vida do suposto individuo.
Para ele, o indivíduo modifica o mundo sofrendo depois as consequências da própria mudança que realizou.
Existem aquelas conhecidas frases que circulam na internet que dizem: "Você modifica o mundo quando modifica dentro de você" ou "A realidade é você quem cria"... Elas são um resumo do que Skinner disse... A ideia é bem mais complexa do que as frases...
Nada na sua Vida - muito menos as mudanças - irão acontecer sem atitude, sem um processo lento e sem acreditar. Não existe uma receita rápida nem uma varinha de condón que vupt: faz tudo acontecer do nada! Todos os processos de mudança são como a semente...
Se você por iniciativa própria ou por impulso decidir mudar alguma coisa ao seu redor, irá sofrer as consequências das mudanças que você mesmo gerou. Se você mudar dentro de você, irá colher as consequências destas mudanças percebendo tudo mudando ao seu redor.
"-Ah, mas não existe fórmula mágica! Como assim?".
O imediatismo nos leva a querer mudanças e soluções rápidas e práticas. Gera impulsos que nos fazem 'meter os pés pelas mãos', nos levando a tomar escolhas "erradas"... Aquela escolha surtirá efeito a curto prazo pois, irá satisfazer um desejo ou necessidade imediatamente. Mas, com o passar de pouco tempo, se fará necessária nova escolha ou haverá as consequências da escolha feita. Você ficará preso a um círculo vicioso onde uma escolha mal feita levará a outra porque, sofremos as consequências das mudanças que criamos.
Quando você muda dentro de você, os problemas continuam no mesmo lugar, a paisagem continua a mesma, as pessoas continuam sendo quem são, mas, muda o modo como você encara os problemas e você já não se foca mais neles mas, em soluções. Muda o modo como você contempla a paisagem. Muda o modo como você lida com as pessoas. Muda o modo como você interpreta e encara o mundo!
Segundo a Psicologia Comportamental (Behaviorismo) seu mundo interior reflete-se no mundo exterior. Seu estado interno se manifesta em todas as suas ações, por mais sutis que sejam.
Quando a Mary decidiu reformar a casa, manifestou uma necessidade de mudança interior em processo. Mudar a casa e deixá-la confortável, mais iluminada, em ordem, reflete como ela se sente: ela está exteriorizando o que está acontecendo dentro dela!
Como já disse, meu jardim é a materialização da minha Alma: se o jardim não estiver bonito, algo está errado dentro de mim. Restaurar e mudar o jardim também manifesta um desejo de mudança e renovação!
Quando chegamos neste nível, temos uma nova perspectiva de vida, há muita esperança, há novos projetos surgindo e sonhamos mais!
Se você não está conseguindo com que a solução encontrada surta efeito... Se você não está conseguindo a mudança necessária... Mude dentro de você! Lembre-se do macarrão queimado! Mude sua perspectiva, seu modo de ver as coisas fazendo mudanças internas!

Shimada Coelho/2016
Licença Creative Commons
Quem Você É se Reflete em Tudo o que Você Faz. de Shimada Coelho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Você tem obrigação de saber quem você é!



A sua Vida é sua e só você pode vivê-la! Sendo assim, tudo - absolutamente tudo - em sua Vida é resultado de suas escolhas: apenas de suas escolhas! Não adianta querer culpar ninguém de nada... A bem verdade é que o outro só irá afetar sua Vida se você der este poder! Toda interferência que o outro causar em sua Vida será por permissão sua e escolha sua! Não adianta buscar argumentos nem justificativas para acreditar no contrário... As pessoas passam por nosso caminho, e as ações delas podem sim - de alguma forma - mudar os cursos de sua Vida se você escolher isso.
Isto incluí a opinião que as pessoas tem sobre você. É direito nato de cada um pensar, achar e julgar tudo como bem entender. E é direito seu acatar a opinião delas ou não!
Só existem duas pessoas no Universo todo que saberão mais de você do que você mesmo: Deus e sua mãe. Ainda assim, a mãe saberá tudo sobre sua natureza herdada geneticamente, ou seja, você terá traços dela mesma e de seu pai, alguém que ela conhece bem mas, ela não saberá mais sobre quem você se tornou. O conhecimento da mãe sobre nós é tão limitado quanto o conhecimento que qualquer pessoa tem sobre nós.
A frase que mais ouvi de pessoas que me conheciam apenas de vista e tiveram maior proximidade foi: “Nossa! Eu te achava tão metida!”. Sempre achamos que estamos aptos a julgar e classificar tudo mas, sempre estaremos nos baseando na primeira impressão e em nosso modo de enxergar tudo que está baseado exatamente em nossa personalidade: tudo o que somos se refletirá em nosso modo de enxergar e encarar o mundo! Isto quer dizer que o que vemos fora de nós, na verdade, está antes dentro de nós.
Pode ser muito interessante conhecer filho, marido, namorado, prima e todas as pessoas que nos relacionamos como a palma de nossa mão mas, não haverá vantagem alguma se não conhecermos a nós mesmos. E se você não conhece a si mesmo, é ledo engano você achar que conhece mesmo alguém... Quando o assunto é ‘ser humano’, conhecemos tudo do outro através da Empatia! Se você não se conhece, se você não sabe o que quer, se você não encara suas qualidades e seus defeitos, se você não enfrenta seus assuntos interiores, não tem como conhecer o outro. Porque conhecemos tudo e determinamos o que nos agrada ou não através da Identificação: eu reconheço o que está no outro porque está ou já esteve em mim!
Se você conhece a si mesmo, a opinião dos outros não será relevante. Sendo relevante, é altamente nocivo pra você - não apenas ao outro que te julga. Porque a partir do momento que a opinião dos outros te afeta, afetará seus rumos, suas ações e suas escolhas. Até seu comportamento será alterado porque irá se moldar conforme a opinião alheia para ser aprovado pelos outros. Chegará o momento então que você se tornará totalmente dependente da opinião alheia. Sempre precisará do palpite dos outros pra se mover no mundo e é por isso que culpamos sempre os outros: envolvemos as pessoas em nossas questões e lhes damos poder para determinar o que é e o que não é, o que pode e o que não pode.
Se os outros não derem alguma opinião ao seu respeito, você se sentirá sem rumo. Se sentirá reprovado e que não é aceito porque ninguém palpita o que é ou deve ser. Isto te leva a mais profunda frustração... Saiba mais sobre você mesmo(a)! E chegará o dia em que não precisará dos elogios alheios para se sentir algo bom e alguém capaz! E as críticas nunca irão te colocar pra baixo! Você jamais deve acreditar no que os outros dizem ao seu respeito, nem o que espalham sobre você por ai! Ninguém pode saber mais de você do que você mesmo mas, você pode cair na cilada de acreditar que você é o que dizem de você!
Licença Creative Commons
Você tem obrigação de saber quem você é! de Shimada Coelho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Você Nasceu para Um Propósito Maior!


Hoje quero ter um papo em especial com as mulheres mas, os homens podem aprender em muito com o que será dito.
A Inspiração me leva a falar sobre este assunto por conta do momento em que vivo: estou cercada de mulheres que pretendem se divorciar de seus maridos ou que acabaram de se separar. Até eu já desejei separar de meu marido...
Tudo o que direi a partir de agora é um pequeno resumo do que está em meu livro não publicado. Meu livro é resultado de minhas reflexões quanto ao ser mulher, ser esposa, mãe, cidadã, indivíduo e profissional.
Antes porém, gostaria que os homens compreendessem de antemão que, tudo o que for dito sobre vocês não é nenhuma ofensa ou ataque, muito menos papo feminista: é uma constatação! Nada do que for dito tem o objetivo de depreciá-los ou diminuí-los mas, de fazer com que as mulheres aceitem a compreensão e paciência nata que possuem com os homens.
Segundo o Criacionismo Deus fez o homem do barro e a mulher da costela do homem: o homem é terra e água e a mulher é osso e DNA puro! Segundo a Ciência, não importa quantos anos o homem é mais velho do que a mulher, ela sempre será seis anos ou mais mais evoluída que ele.
Não é preciso saber sobre Criacionismo e Evolução, nem de Ciência, Antropologia e Sociologia para constatar: toda rotina cotidiana revela isso!
O mundo vive uma situação delicada e me pergunto porque está no estado em que se encontra se a humanidade já viveu realidades sangrentas, violentas e cheias de constantes maldades sem ter a opção de viver o contrário. Hoje, o ser humano possuí o livre direito de escolher e viver como bem entender mas, tem se permitido ser manipulado e condicionado quando deveria usufruir de tudo o que a humanidade mais desejou: liberdade!
O número de feministas aumenta consideravelmente e não é difícil compreender o porque... Se nossa única opção fosse compreender tudo literalmente, iríamos concluir que todo mal do mundo é resultado da ação do humano masculino. Todas as notícias querem nos induzir a crer nisso! Todo crime, toda violência, toda maldade é apresentada como obra das mãos dos homens! E após séculos e séculos de existência, a comunidade humana ainda é machista e a mulher ainda é a frágil vítima!
A partir dos anos 90 parece ter ocorrido uma inversão de valores degradante a existência humana que o conduz a uma auto destruição. E para mim como mulher, é difícil admitir mas, preciso confrontar com a possibilidade que isto sim seja culpa da mulher.
Tanto homens quanto mulheres esqueceram-se de sua verdadeira função na sociedade humana, perdendo-se numa revolução sexual, comportamental e social que não existe: é mera ilusão!
Vejo adultos regredindo em todo aprendizado de vivências, deixando de ser o adulto que se tornaram para voltar a ser o adolescente que não puderam ser. Vejo os distúrbios emocionais e sentimentais falarem mais alto, levando as pessoas a mudarem de vida na crença de que estão alcançando a plenitude de Vida quando estão seguindo o caminho que sempre procuraram evitar de trilhar pois, isto era o mais sensato a se fazer. Vejo as necessidades fisiológicas recebendo mais atenção e sendo confundidas com a satisfação emocional. Vejo a cura da estima sendo buscada no que é superficial e transitório quando só o que é etéreo e produzido dentro de si mesmo pode elevar a estima levando o indivíduo a alcançar o amor próprio. Vejo a carência emocional criando diversos argumentos e desculpas para justificar impulsos prejudiciais as relações e desculpas esfarrapadas.
Não é questão de radicalismo, de extremismo, de religiosidade, de regras, de carolices ou de machismo e feminismo: é questão de lógica! "O povo padece por falta de conhecimento.".
Se homem e mulher - cada qual - não possuísse uma função na sociedade humana, não nasceriam diferentes - homem e mulher - seriam seres assexuados ou coisa parecida.
Desde os primórdios da Civilização Humana o homem utiliza sua força para proteger e a sutileza e doçura da mulher para transformar e criar. O machismo distorceu a real função do homem, deturpando a real função da mulher.
Os homens são os guardiões das mulheres que tem como função neste mundo torná- lo mundo habitável! É a função do homem que a mulher tenha como exercer seu papel fundamental! Mas, o machismo transformou a necessária função do homem em posição hierárquica, dando-lhe poder de mandar e desmandar quando sua função é proteger! Não é atoa que os homens acreditam que sua função se limita a levar dinheiro para casa, dar comida, teto e pagar as contas e não é atoa que a mulher tem servido apenas para satisfação sexual. Não é atoa que as mulheres acreditam que só são amadas e admiradas se forem capazes de despertar o desejo sexual em um homem. E hoje em dia, quando tudo tem mudado, isto incluí também as relações de gêneros: não importa se é homem com homem e mulher com mulher, esta ideia deturpada segue qualquer tipo de relacionamento.
A função do homem é esta sim mas, vai muito mais além: é ele que deve proporcionar as condições necessárias para que a mulher faça sua função sendo uma delas a de maior responsabilidade: gerar e formar um cidadão!
No tempo de nossos pais e avós a mulher não deveria trabalhar por um motivo específico... Mas, compreenderam que trabalhar fora é ser independente e auto suficiente quando, a bem verdade é que nunca serão do modo que desejam: muitas mulheres ainda dependem emocionalmente de um homem para se sentirem realmente mulher!
Mulher não deveria trabalhar para poder fazer o que naturalmente nasceu pra fazer: se doar! É a mulher que cuida, que zela, que cria, que transforma, que gera, que forma, que ensina! As gerações existiram e só poderão continuar existindo se a mulher puder desenvolver seu papel mas, sua capacidade não se limita ao que tem feito: ela é que forma uma cidadão, uma pessoa,um indivíduo! Não é atoa que o homem sempre irá culpar sua esposa por tudo o que der errado: o poder é realmente dela!
No começo do mundo o sistema era matriarcal! O machismo o transformou em patriarcal! A mulher nasceu com toda sua intuição, sensibilidade e capacidade extra sensorial para liderar e conduzir a humanidade!
Na Bíblia relata-se o seguinte quando Deus decide fazer uma mulher para o homem: "Façamos uma mulher idônea...". Idônea não nos remete apenas a uma mulher mais velha e não é atoa que intelectualmente a mulher sempre será mais velha (evoluída) que um homem... Procure no dicionário o significado da palavra "idônea"... Uma mulher apta a liderar em qualquer área da sociedade! Não, a mulher não existe para roubar a posição do homem mas, para auxiliá-lo a chegar ao topo!
E depois que você ver o significado desta palavra, compreenda porque você esposa sempre será a pessoa que irá perdoar, compreender e ter paciência e porque o homem parece se comportar o tempo todo como um menino crescido.
E você marido, irá compreender porque mulher é esse ser tão complexo e compreenderá também porque ela parece tão confusa!
Nossa natureza real estará sempre nos convocando a realizar nosso papel: nascemos para um propósito maior que nossas vontades pessoais!
O que não pode acontecer neste ponto da existência humana é que famílias se dissolvam porque casais não estão conseguindo superar suas adversidades matrimoniais! Homens estão culpando mulheres e mulheres culpando homens pelo fim de um relacionamento quando a culpa sempre será de ambos! Não existe um só numa relação a dois: sempre serão os dois!
"A família é o NÚCLEO da sociedade! É a célula mãe: a sociedade é feita do conjunto de muitas famílias! Uma comunidade é feita de muitos INDIVÍDUOS!
Sem famílias estruturadas, não poderemos nunca ter uma sociedade estruturada porque um é reflexo do outro!
Licença Creative Commons
Você Nasceu para Um Propósito Maior! de Shimada Coelho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

O Poder Da Expressão/Palavra



Tudo dentro de nós - sejam emoções, sentimentos ou pensamentos - são eventos sendo gerados dentro de nós. O que realmente se tornarão só estará criado quando for trago para fora de nós, quando for Exteriorizado!

Não importa a situação que desencadeia este início de 'criação': o que vier para fora de você através de suas expressões - sejam verbais, corporais ou faciais - determinará o que você criou dentro de si.

Nos acostumamos a crer que uma situação deve por obrigação gerar determinada reação como se fosse lei! E nisto vamos nos condicionando: sinto dor/gemer, perda/decepção, decepção/depressão, sofrimento/choro e assim sucessivamente. Vivemos como se fossemos robôs programados e não há desfeita maior para com o Criador de todas as coisas viver assim quando Ele fez o ser humano tão complexo e tão repleto de aptidões!

Você normalmente não percebe mas, você sempre estará fazendo escolhas muito sutis - quase imperceptíveis - toda vez que uma situação impulsionar algo dentro de você: você irá determinar como reagirá naquele momento e isso será o fator que desencadeante para o que você irá exteriorizar!

Você recebe a notícia de que perdeu o empregou e sente um baque! Algo começa a ser gerado dentro de você. Este algo é que irá conduzir como reagirá a esta notícia! Naquele momento, você não pensa no emprego que perdeu: pensa nas contas que tem que pagar, naquela dívida que falta pouco para terminar, naquele carro que estava prestes a comprar e assim por diante. Tudo isso será ingrediente para o que está sendo gerado dentro de você...

Pela lógica, você perde um emprego e é só ir atrás de outro. Sua reação não é pelo emprego perdido, é por tudo o que quer realizar e depende da sua renda... Em vez de gerar lógica, positividade, força, persistência e estas coisas que nos mentém seguindo enfrente, você gera frustração, tristeza, desânimo, desesperança...

Quando dizemos que "A realidade é você quem cria" estamos querendo dizer literalmente isto!. "-Ah, mas eu não estou criando o conflito na Síria!". Não está, mas esta guerra não existe para você, você não faz parte dela, não a vive e só vai existir se você começar a vivenciar ela mesmo que seja apenas propagando as notícias da Síria. O que quero dizer é que a palavra realismo/realidade deriva de real! Tudo o que é real pra você é apenas tudo o que você acredita que existe! Sua crença, seu modo de acreditar, de interpretar a realidade é que cria sua realidade pessoal! Vivemos em uma atualidade individualista mas, as pessoas estão inconscientemente condicionadas ao coletivismo! Não sabem ainda ser nem uma coisa e nem outra! E uma coisa não pode conviver com a outra: são distintas!

O que você manifesta possuí uma alta dose de concordância: você concorda com aquilo, expressa aquilo, porque acredita naquilo!

O que você sente e pensa, será apenas o que você sente e pensa e passará! Mas, quando você expressa, você materializa o que sente e pensa e joga na realidade! O que sente e pensa é só seu mas, quando expressa compartilha com a realidade e tudo o que está conectado a ela! Quando expressa torna o que é real apenas pra você uma realidade para o mundo todo!

"A boca confessa o que o coração está cheio"... Como você irá interpretar o que está sentindo irá determinar o que será confessado! E o que você faz e fala é vibração! E Vibração é a linguagem do Universo que mantém tudo seguindo seu curso natural! E aí é que está a nocividade em expressar de qualquer forma, em vibrar qualquer coisa, em se deixar levar pelos impulsos! Não importa o que você quer ou o que acredita - o cotidiano está ai para provar para quem quiser ver - você sempre estará conectado a tudo e a todos!

O vocabulário brasileiro é um dos mais ricos e complexos do mundo por todos os significados que uma única palavra pode ter e por nossa capacidade de utilizar uma palavra em um contexto ao qual a palavra não pertence. E mesmo que você consiga usar todas as palavras do dicionário em uma única frase, não será claro o bastante para o Universo!

O Universo e tudo o que nele há foi criado a partir do Verbo! Da Palavra! Da Expressão! E tudo isso é Vibração! E assim tudo irá se manifestar! O próprio Universo é uma vibração constante: é ainda o Verbo ecoando!

Então, a linguagem do Universo é simples, lógica, racional, direta! Ele não compreende certos termos que usamos! Ele existe porque é resultado de um Verbo: um verbo é uma ação! Um Verbo Positivo gerou tudo! O Universo irá compreender tudo como positivo, afirmativo!

Quando você diz "eu não quero ter Câncer" o Universo compreende "eu quero ter Câncer". Quando você diz " tenho medo de ser traída" ou "não quero nunca ser traída" o Universo compreender "quero ser traída"! Não existem palavras negativas na compreensão do Universo e por isso há tantos pregando a necessidade de sua positividade e de seu otimismo!

Mas, não adianta usar palavras da boca pra fora: elas não surtem efeito algum, nem positivo e nem negativo! Quer um exemplo?

Eu orava constantemente pedindo para Deus uma solução... Enquanto pedia, eu mergulhava em sentimentos negativos porque estava relatando em minha oração a dimensão da situação que era ruim... Os dias passavam, passavam e eu pensava que Deus não estava me ouvindo. Repetia as mesmas orações, demonstrando os mesmos sentimentos como se fossem um mantra e nada de Deus responder!

Até que um dia decidi parar de pedir e agradecer! Agradecia convicta de que poderia estar ruim mas, poderia ser pior! Daquele jeito era suportável, se fosse pior eu com certeza não aguentaria então "Deus, obrigada por isto mesmo que eu não compreenda!". 

Eu ainda sentia o peso do problema mas, eu não pedia mais solução a Deus... Eu apenas agradecia! E agradecer com convicção gera dentro de nós gratidão! E gratidão é uma vibração super positiva. E sendo positiva o Universo compreende! E quando eu agradecia "NÃO ter a solução" o Universo compreendia "TENHO a solução". De repente, do nada mesmo, a solução surgia! A oração que eu fazia não era mesmo ouvida porque ela não era sincera: a necessidade me forçava a orar! Mas, quando eu sentia, quando eu interpretava a situação de modo positivo, quando eu agradecia, Deus que sonda e conhece os corações via sinceridade na minha expressão!

Deus não é o Mágico de Oz ou o Gênio da Lâmpada, muito menos Papai Noel para ficar atendendo pedidos... Mas, Ele com certeza é um Pai amoroso (Pai=Criador) que recompensa seus filhos por aprender suas lições e cumprir bem suas tarefas!

Eu lancei, semeei no Universo - tudo o que nos cerca - positividade e sinceridade da Alma e o Universo respondeu na mesma linguagem!

Você não tem que se policiar o tempo todo mas, foi te dado cérebro e a capacidade de pensar para pensar! Pense antes de falar! Fale o que estiver convicto! É o que você acredita, é sua convicção que constrói a sua realidade! 

Ontem eu dizia para minha irmã: "Quando não estou bem eu não publico no grupo porque só falo do que tenho certeza e minha certeza só pode vir da minha convicção. Se eu falar uma coisa e meu estado for outro, serei falsa!". 

Acreditar é uma coisa, estar convicto é outra e sua crença sempre será sua convicção e não o que você acredita! E Deus e o Universo sabem disso!

As mensagens que publico aqui são enviadas a mim... Estou em aprendizado porque me abri para aprender e poder evoluir! Eu tenho por obrigação assumir meu compromisso em aprender e aprender é aplicar, vivenciar... Eu tenho que viver o que digo para que minhas palavras sejam reais! Eu as divido com vocês porque me satisfez o aprendizado e o resultado foi muito positivo! No dia em que eu me ausento, a lição está sendo mais difícil... Não posso falar nada aqui sem antes aprender!

Se eu afirmo algo, tenho que viver o que falo! Se não vivo o que falo, não devo dizer!


Licença Creative Commons
O Poder Da Expressão/Palavra de Shimada Coelho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.